quarta-feira, 2 de março de 2016

Quem me separará do amor de Deus?

Por Fabrícia Moura

Há algum tempo não faço uma postagem e até mesmo não escrevo sobre a palavra de Deus. Acho que por um lado é bom, tenho lido muito mais por vontade de ler do que meramente por ter a necessidade de escrever sobre a palavra de Deus. Mas mesmo assim Ele tem me falado muito.  Estou acompanhando a leitura a partir de Colossenses, nem sei porque vim acompanhar essas cartas de Paulo, mas tenho aprendido muito com esse apóstolo.

Acompanhando Timóteo pude aprender muito em manter-se firme segundo o querer de Deus, mesmo em meio às temidas crises, Timóteo era perseguido também por infiéis, seu pai não era Cristão, sua avó e mãe que eram, tornou-se filho na fé de Paulo, pois foi este que o ensinou sobre o evangelho. Timóteo vai a Corinto, Éfeso e demais cidades pregar o evangelho de Cristo, pois nas sinagogas não eram repassadas as boas novas, mas diante desses embates Paulo escreve bem dirigido a Ele para que se mantenha firme em fé, e exorta que devemos ora uns pelos outros, pois é agradável ao Senhor Deus.

Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões, e ações de graças, por todos os homens;
Pelos reis, e por todos os que estão em eminência, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade;
Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador,

1 Timóteo 2:1-3

Nossas orações não podem ser somente com pedidos próprios, mas que oremos por todos os homens, indiferente de quem é. Lembro sempre nesses tempos em que o Brasil passa, onde mesmo sendo difícil para o caráter humano, temos que orar pelos nossos governantes, para que Deus use a vida deles para o bem da nação, orar é entrar em guerra com o inferno, é desafiar ao Diabo dizendo que você agora está armado e preparado para enfrenta-lo, não se esquecendo de que o nosso General já pisou no campo de batalha a mais de 2000 anos.

Mas vamos ao versículo que mais me chamou atenção em segunda Timóteo (cap. 2 ver. 13): Se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo.” , esse versículo vem novamente expressar o quão somos de Deus, somos feitos por Ele e segundo a Sua imagem. É incrivelmente perfeito quando ele diz que “não pode negar-se a si mesmo”, ou seja mesmo que andemos por caminhos sem Sua total aprovação é impossível que Ele nos negue pois somos Dele, somos Ele, mas não a ponto de nos sentirmos Deus ou melhores que Ele, mas sim a ponto de nos sentirmos tão seus, tão protegidos, tão amados, o que nos leva a primeira João  (cap. 4 ver. 18): No amor não há temor, antes o perfeito amor lança fora o temor; porque o temor tem consigo a pena, e o que teme não é perfeito em amor.”, mostrando mais uma vez o Seu verdadeiro amor, nos dando uma noção de que Ele sim é fiel, mesmo eu sendo infiel para com Ele, o Seu amor é perfeito até nas entrelinhas.

O amor de Deus com seus filhos é inimaginável, é de longe decifrável, sem prerrogativas, ou mesmo sem petição alguma, é simples amor, amor de pai para seu filho, amor que educa, que consola, que lança fora o temor, às vezes imagino Deus sentando com seu olhar de aprovação por ver que seus filhos conseguem andar com retidão, com humildade, com amor uns com os outros, às vezes penso na sua ansiedade, Deus deve ter ansiedade em ter seus filhos logo ao redor, em querer enviar Cristo logo para que tudo isso se encerre e todos estejam ao seu lado, penso na sua mansidão em esperar que todos possam conhecer Cristo como Senhor a fim de serem salvos. Somos essências de Deus, temor, ansiedade, mansidão, ira, humor, enfim são os traços mais reais de que somos Seus, de que somos sua feitura e justamente por estar Nele e reconhece-lo em nós, podemos dizer como Timóteo,  Ele permanece fiel, que seu amor fraterno de perdão, de mansidão permaneça em nós para que um dia todos possam reconhece-lo e dizer a Deus também que é fiel pois não podemos nos negar . Deus é perfeito!!!